Rosa de Saron e o novo CD “O Agora e o Eterno” Parte 3


Rosa de Saron lançou o CD “O Agora e o Eterno” oficialmente no dia 25 de maio de 2012, em mais um show da música católica!

Como ocorreu no lançamento do CD Horizonte Distante, a banda preparou pequenos textos explicando a ideia por trás de cada nova canção, para que os fãs possam experimentar junto com o Rosa o sentimento de cada uma delas. Porem, não se deixem acomodar com esses simples releases, afinal sempre é possível encontrar significados não revelados ou melhor que isso, encontrar novos significados a partir de sua experiência pessoal, particular. Uma interpretação exclusiva sua. Não se deixe prender pelo obvio, sinta-se livre, afinal de contas ” O Vento sopra onde quer” Jo 3, 8

As Horas (Eduardo Faro)
Num piscar de olhos você verá que a vida passa como um cometa, seus antigos amigos seguem suas caminhadas, outros queridos partem dessa vida e acabamos preenchendo nosso tempo e corações com todas as dores do dia a dia. É preciso restabelecer suas prioridades, viver na verdade, arrumar suas pedras grandes e se preencher de coisas boas. Pois não há tempo a perder neste mundo.

Me sinto tão perdido aqui
Deixei pra trás o que mais importava
Eu não consigo mais ouvir
A voz me empurrava
Não quero me sentir assim
Perdendo as lutas que existem em mim
A vida não vai perdoar se ao menos não tentar

A vida é curta e não quero mais desperdiçar
O tempo passa e eu perco as horas
É tudo sempre igual
As mesmas histórias que eu cansei de ouvir
A vida é curta e não quero mais desperdiçar
O tempo passa e eu perco as horas
Com o meu coração levanto minhas mãos
E arrumo as minhas pedras

Nada pode ser melhor que a verdade e o que existe nela
Mas é preciso resistir à dor que vem com ela
E tudo o que não entender o tempo lhe trará suas respostas
Não deixe o céu escurecer e olhe a sua volta

Versos(Guilherme de Sá)Versos é uma oração Mariana composta numa madrugada de chuva. Trata com delicadeza o sentimento de que é preciso cuidar da nossa morada, antes que ela fique vazia e sombria. Cuide bem do que é seu.

Sei que é tarde
Mas através desta, eu venho pedir uma breve oração
Já não conheço mais minha alma

Tenho saudade daqueles dias
Que o tempo passava
E ainda era abril
E eu somente sonhava

Mas é novembro e eu não percebi as flores morrendo
Agora, qual rosa eu darei à Deus?

Simples de coração, nada mais

Que ele se torne uma linda e simples decoração
Porque hoje, essa velha morada é uma triste lenda
E agora canta seus versos de arrependimento
Ouço sinos querendo soar dentro de mim

 Ouço sinos soando em mim

Hoje peço que junte os dedos e faça por mim uma prece sem fim

E acordada, vele meu sono
O meu silêncio é uma nota preta num imenso papel vazio
Mas ainda é uma nota que toca, e a lágrima toca o céu
Dura uma noite
Mas no amanhecer vem a alegria

Rubra Alma(Eduardo Faro e Rogerio Feltrin)
A primeira audição pode soar “apenas” como uma música que fala sobre a importância de se defender os injustiçados, porem esse apelo ganha dimensão absurdamente maior quando essas vítimas injustiçadas são crianças que sequer tiveram a oportunidade de nascer, que foram assassinadas brutal e covardemente ainda no ventre de suas mães.
Sim, Rubra Alma é uma música anti aborto. Mais que uma denúncia e uma cobrança. Inconcebível um pais predominantemente cristão, por omissão dos mesmos, estar cedendo às pressões de uma minoria pró-aborto.
Por fim, será que quando a canção grita que “um inocente cai” manchando nossas almas de sangue não podemos fazer uma analogia ao próprio Cristo, inocente, assassinado por nós?
Fechar os olhos pra não ver ao seu redor
Não faz desaparecer do pensamento
A desconcertante dor na face do amor

Negligência em suas mãos é o penhor
Da injustiça que alimenta e fortalece
A injustificável poda da flor

É preciso ser a voz dos que nunca puderam falar
A voz que não se quer calar
Um inocente cai e nossa alma fica manchada de rubro

Coerência estilhaçada cai pelo chão
Os que creem se omitindo e se esquivando
Como se bastasse apenas o erguer de suas mãos

Grito preso na garganta que se soltou
O insuficiente é muito quando o nada é a última cartada
E não lhe sobra opção

Até o Fim(Guilherme de Sá)
Esta canção não foi composta para este CD. Até o Fim foi composta pelo autor para sua esposa e a cantou na cerimonia do seu casamento, para ela.
Na última reunião antes das gravações, os outros integrantes pediram ao autor que ela fizesse parte deste disco. Por se tratar de uma música que aborda o matrimônio dentro de valores cristãos que se perderam, como “até que a morte vos separe”, cairia como uma luva no repertório. Afinal, um casamento deveria ser para toda a vida, uma escolha eterna.
Ele aceitou com uma condição: Que fosse mais um presente a ela e para todos os casais que a utilizarão em seus casamentos. É uma romântica canção de amor.

Quem vai me abraçar, me compreender, me consolar?
Quem vai me querer, quem vai saber me perdoar?
E quando tantas tardes gelam, quem vai me esquentar?
Eu sei que é você e a todo instante vai me amar

Quando eu olho o que a vida vem se tornando
Eu vejo que tudo se resume a te amar
O dia sorriu e eu acordei, foi o melhor que já nasceu!
E é você e só você que o fará durar

Não até o fim, até o ciclo terminar

Não até morrer e o pó à terra misturar
Que seja para sempre e todo sempre
Um eterno altar

Sou eu quem vai amar, quem vai saber te acalmar
Sou eu quem vai ouvir sua doce voz e vai chorar

É neste colo aqui que vai poder se debruçar
E mesmo na ausência, o coração vai te levar

Como poderia apagar tudo isso?
Eu reviveria outras trezentas primaveras!
Olha pra mim, veja que eu era uma ilha a ser descoberta
E você passou por ali

Quadro Novo (Rogerio Feltrin)
A música, de maneira simples, humana, tenta expressar o inexprimível: a sensação de paz e presença de Deus que invade a alma quando se está, sozinho, em adoração, numa pequena capela do Santíssimo. É dentro desse contexto que o “personagem” da canção se encontra. Só quem já viveu essa experiência de estase espiritual vai se identificar com o “personagem”

Novo dia vai raiando
Acho que sinto perfume de céu nesse encontro
Agora que eu cheguei, vou ficar por aqui
Descalço os meus pés
Não vou precisar fugir

Maior que a luz do sol é o amor que eu sinto aqui
O seu olhar de encontro ao meu sopra vida em mim

Cores vivas vão pintando cenas de sonho
Reconstruir quadro novo
Minhas malas aqui deixei, este é meu lugar
Sei meu rumo, minha direção
Feito pássaro a voar

Distante do que Sou(Eduardo Faro)
Você é construído da história que viveu, dos valores das pessoas e cultura do lugar de onde veio. Mas as jornadas e os novos encontros da vida nos trazem novas experiências que a todo o momento estarão nos enriquecendo ou colocando à prova tudo aquilo que somos e acreditamos. Haverá momentos onde será necessário dar um tempo respirar, voltar para casa e restabelecer as ideias, valores e a nossa Fé.

Tudo o que sou
Eu aprendi a ser onde vivi
E sei que pra ser firme, eu tenho que insistir
Saber pra onde ir

A noite chegou
E outra vez estou sozinho aqui
O meu sorriso está mais raro e começo a fingir
Que tudo está bem
Que tudo está bem

Longe, muito longe eu estou
Vou perdendo aos poucos um pedaço do que eu sou
Preciso que você esteja aqui

A poeira do ar esconde o choro que guardei pra mim
A minha guarda está mais alta e não me sinto bem assim
Vou voltar pra casa antes do sol e cuidar de mim

Longe, muito longe eu estou
Vou perdendo aos poucos um pedaço do que eu sou
Preciso que você esteja aqui

A solidão que toca a minha alma
Faz de mim um rio sem direção
Corrói e faz ferida sem descanso
Eu canso de ficar olhando para o chão

Última Lágrima (Eduardo Faro)
Se você não passou por um momento em sua vida, onde tudo pareceu estar desabando aos seus pés e todas as suas certezas se fragilizaram, com certeza um dia vai passar. Então cante essa oração e se deixe inspirar. Pois temos mil razões sinceras para não se entregar até a última lágrima.

Hoje me sinto tão disperso
Por não saber ao certo a medida da razão
E peço com o coração confesso
Que ouça minha alma e todo meu clamor

Mas nada pode me fazer mudar, selar a minha voz
Eu tenho mil razões sinceras
Não quero te esquecer

Não vou me entregar até a última lágrima restar
Até a última lágrima

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s